Sejam bem vindos

sexta-feira, 26 de agosto de 2016

Conversa de Vitrine - Ato I e II

Como havia prometido na postagem anterior, vamos ao nosso primeiro conto em parceria com a culpa das ideias.




O Passeio

Era natal. Um gingle bells delicado dançava no alto falante e finalmente eu estava na cidade grande, e melhor do que isso, dentro de um shopping center.
Cores, laços, presentes e toda sorte de parafernálias tingia o ar de novidades. E foi num desses momentos, num ímpeto desenfreado, comecei a observar os manequins em poses patéticas sorrindo cinicamente. Eram tantos e tão diferenciados que resolvi parar diante de um deles. Era uma carcaça esquelética fantasiada com uma peruca Chanel ruiva, olhos azuis abrigados por cílios que amedrontavam. A boca era camuflada por um “olá” perdido dentro do vazio que ostentava um róseo amorfo.

Aproximei meu rosto da vitrine, olhei bem naqueles olhos de espantalho e disse:
-Oi, eu sei que você desce daí quando as luzes acendem o fogo fátuo desorganizado que mora dentro das madrugadas.

Aqueles olhos bizarros continuavam se divertindo às minhas custas, enquanto a sessão da meia noite encerrava as portas e, os cinéfilos rebocavam seus corpos até a saída.
De repente tive a maior e a melhor ideia da minha vida. Resolvi me esconder no banheiro mais próximo... E que milagre, estava vazio!
Entrei num deles tranquei-me num box e subi no vaso sanitário. Contendo minha respiração ouvi a porta abrir e risos de salto alto adentravam para realçar bocas e olhares no reflexo espelhado.

Tive medo em ser descoberta, mas as vozes logo sumiram e o silêncio tornou-se meu cúmplice. Esperaria mais algumas horas e sairia gentilmente, felizarda por estar sozinha dentro do maior shopping da cidade.
Desci então do vaso, já com a certeza de que nada me deteria. Fui direto para o espelho e comecei minha produção.






 A transformação

Estava tudo diante de mim: rímel, batom cílios postiços, delineador, blush, base e peruca.
O silêncio continua dormindo quando ouvi passos que vinham na direção do banheiro. Fiquei petrificada... Fui descoberta?!  Mas por sorte os passos passaram batidos e desapareceram no piso esquálido de um andar que supostamente descansava.

Para completar meu visual, vesti um conjunto rosa choque e rodopiei olhando meu corpo. Era um tubinho que deixava metade das coxas de fora, e para completar o modelito vesti um casaquinho rendado num tom mais ameno controlando um degrade saído direto de uma casa de bonecas. Eu estava um show!

Ah, faltava colocar a peruca. Escolhi um Chanel que me transformou em uma morena charmosa... a peruca era um pouco desalinhada mas eu estava um arraso. Para  completar meu look , calcei uma meia quadriculadas no tom do casaquinho, terminando com os sapatos de bico fino também rosados.

Dei uma gargalhada histérica e saí daquele banheiro que já cheirava a madrugada.


Será que algo de assustador vai acontecer com nossa personagem?
Aguardem a sequência!!

6 comentários:

  1. Gostei de ler! Muito bem escrito e promete!! beijos, chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Chica, que bom saber-te nossa leitora.
      Adoro quando vens, e olha, promete mesmo, a história está muito hilária.

      bacios e meu afeto.

      Excluir
    2. Olá Chica minha querida, muito feliz com sua presença.
      Obrigada pelo carinho. Bjs

      Excluir
  2. Oi, Lu e Patrícia!
    Parabéns por esta iniciativa, já estou seguindo.
    Vamos aguardar e saber o que acontecerá nesta aventura natalina no shopping...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ana, que privilégio tê-la por aqui, uma contista de mão cheia!
      Obrigada pela visita e por fazer parte da nossa nova jornada.
      Bacios

      Excluir
    2. Ola, Ana.
      Obrigada pelo carinho.
      Este cantinho esta sendo muito especial para eu e Lú.
      Obrigada. Bjs

      Excluir